sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Por vezes sinto a minha vida debaixo dos pés e completamente perdida, talvez perdida entre esse teu olhar doce e acolhedor, talvez a borboleta também se perca e se apaixone pelo gafanhoto errado, ela sim não olha a belezas mas sim a interiores, interiores bonitos e cheios de doçura e honestidade.
Na vida não procuramos um amor assim bonito de uma certa forma mas procuramos um amor verdadeiro e seguro, confortável e compreensível nas horas de mais aperto, num amor verdadeiro procura-se a felicidade de todos os dias acordar e não mandar vir com o despertador e sim ainda agradecer lhe por nos ter acordado para que assim vivamos o dia intensamente.
Por vezes talvez até faça sentido fazermos o errado e praticarmos o mal apenas pelo simples facto de nos aliviar e libertar a mente, a mente ela sim consegue pôr-nos em qualquer lugar sem esforço apenas basta  fecharmos os olhos e imaginarmos os sítios e lugares, as pessoas e as caras porque sonhos são a realidade distante e os desejos próximos, aqueles que desejamos que se concretizem o mais depressa possível para que assim façam parte do presente e historia no passado, talvez seja segredo e tesouro o quanto me fascinas e sem mexeres um dedo e só mandares um sorriso, sim sorriso pode ser medicamento, divertimento, emoção e coragem, coragem de sorrir para a vida e esquecer maus momentos e por de lado más recordações, talvez um olhar consiga ser uma razão de vida e uma aventura, porque sim um olhar consegue ser uma aventura em que o objectivo é descobrir o porque de ele brilhar mais do até as próprias estrelas e a própria luz.
Sim se amares sê invejoso e ganancioso não deixes que te estraguem sonhos e projectos porque só os que não têm essa capacidade é que o fazem e não olham a meios, talvez a felicidade não seja de todo uma fonte boa, por vezes felicidade a mais também pode ser um fim e por outras vezes um inicio. Somos imprudentes, intelectuais e somos humanos, somos osso e carne que é destruidora de tudo e tudo é uma definição alargada.
 Sonhamos ao som da musica da nossa vida e pensamos ao som do barulho dos outros, por vezes até parece que quando estamos sozinhos as coisas fazem mais sentido e ganham como que outra forma, outro feitio e nem se calhar reparamos, quando andamos mal as palavras estão lá e aconchegam nos, talvez nesses momentos sejam as melhores amigas e nos compreendam como ninguém, como ninguém tem essa capacidade e como ninguém nos consegue entender e sim talvez por vezes as nossa atitudes possam se considerar abstractas pois não as percebemos e nem têm ponta que se lhe pegue.
Questiona se quiseres, grita se precisares mas não chores se te lixarem e muito menos penses em pagar com a mesma moeda, descer ao nível de quem o faz não é correcto, ignorar é a melhor atitude.

2 comentários:

  1. Olá!Boa noite!
    Belo texto!
    Esta busca incessante por um amor verdadeiro e seguro, é o que nos move...
    o verdadeiro amor é na alma vivido... ir para o caminho errado, para dizer ao coração que está amando...e ficar sem muito amor no coração mantido,
    Como terno e eterno tido e havido..
    Um amor assim verdadeiro
    Deve ser vivido assim por inteiro
    Com carinho e dedicação
    Pois só trará alegria
    Á alma e ao coração...
    Obrigado pela participação em meu blog!
    Muito feliz e honrado!
    Boa semana!
    beijos carinhosos!

    ResponderEliminar